Um ano frente da Secretaria de Assistência Social de Palhoça

Hoje faz 1 ano que assumi como Secretário Municipal de Assistência Social.

Só tenho a agradecer a oportunidade em poder contribuir com o nosso município. Agradecer ao convite do Prefeito Camilo Martins, que nos dá todo o apoio para realizar um trabalho de forma íntegra, democrática e transparente. Agradecer a todos os secretários e servidores municipais. Agradecer o apoio de minha esposa Vanessa Correa por me apoiar e entender minhas ausências. Agradecer o apoio de meu pai e conselheiro Josue Da Silva Mattos e toda a minha família, minha mãe Guilma Boeng e irmãos.. Em nome de nossa secretária adjunta Rosi Meri Silva, agradecer a todos os diretores, coordenadores, conselheiros municipais, parceiros, apoiadores e demais servidores da Secretaria de Assistência Social, que realizam um trabalho ímpar em prol dos cidadãos, buscando a melhoria da qualidade de vida das pessoas, principalmente das parcelas mais vulneráveis de nossa sociedade. E agradeço a todos os cidadãos palhocenses por acreditarem e confiarem em nosso trabalho.

Deixo aqui o meu compromisso em continuarmos trabalhando de forma democrática, honesta e transparente, trabalhando para o fortalecimento do SUAS – Sistema Único de Assistência Social e para o crescimento de nossa ‪#‎Palhoça‬.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Assistência social chega a 98,4 % do país em 2014

Assistência social chega a 98,4 % do país em 2014
Dado faz parte do Censo do Sistema Único de Assistência Social e tem o objetivo de avaliar a execução das ações da área e aperfeiçoar acordos entre a União, estados e municípios

Foto: Ubirajara Machado/MDS
ft1_infosuas_30072015.jpg

A rede de assistência social está presente em 98,4% dos municípios. No total, são 10.729 unidades de atendimento em todo o país. Os dados são Censo do Sistema Único de Assistência Social (Censo Suas) 2014, realizado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). “Estamos criando condições para que a assistência social seja vista como um direito. O Suas é essa possibilidade. É um sistema público de atendimento com regras claras e gerador de direitos e oportunidades”, ressalta a secretária nacional de Assistência Social do MDS, Ieda Castro.

Leia também:
“Assistência social é um direito, assim como a saúde e a educação”, afirma Tereza Campello

Em 2014, os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) – a principal porta de entrada do Suas – passaram a somar 8.088 unidades em todo o país. Houve um acréscimo de 205 centros em comparação a 2013. A quantidade de Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) também cresceu. Atualmente, são 2372 unidades, contra 2249 em 2013.

A região Nordeste é responsável por 38,5% do total de Creas. “É o poder público cada vez mais perto da população que mais precisa”, destaca Ieda Castro. Os Creas region ais, para municípios próximos e com menos de 20 mil habitantes, já são 54 unidades em sete estados.

O atendimento à população de rua, também foi registrado pelo Censo Suas. Em 2014, foram encontrados 215 Centros de Referência Especializados para Pessoas em Situação de Rua (Centros Pop) – aumento de 64% em comparação a 2013. Além disso, as unidades de acolhimento, para proteger crianças e pessoas que tenham tido os laços familiares rompidos ou que se encontrem em vulnerabilidade, já são 5.184 em todo o país.

Quase 7,2 mil Centros de Referência da Assistência Social (Cras) – 88,9% do total – ofertam o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Os idosos são os mais beneficiados, sendo que o serviço para eles está presente em 90% dos Cras, sendo quase 1,4 milhão de pessoas atendidas. Somado aos Cras, o Censo apontou que há 7,8 mil Centros de Convivência, unidad es das prefeituras para prestar o SCFV.

O levantamento apontou ainda que, em 2014, a rede de socioassistencial tem 11,6 mil trabalhadores a mais do que em 2013, quando eram 245 mil. De acordo com a secretária nacional, o principal desafio a ser enfrentado em conjunto pelos três entes federados é construir alternativas que diminuam a precarização do trabalho na área. “A melhoria dos serviços passa pela qualificação dos trabalhadores e por melhores condições de trabalho para os profissionais.”

Censo Suas – Os dados do Censo são informados pelas prefeituras e governos estaduais, por meio de um formulário eletrônico, e colaboram para o monitoramento e o acompanhamento dos serviços executados no Suas. As informações são fundamentais para a qualidade do atendimento à população e para a gestão e controle da política de assistência social, além de identificar avanços, limitações e desafios do sistema.

O Censo Suas analisou a rede da assistência social, abrangendo questões de recursos humanos, serviços e unidades da rede. Foram coletados dados de 35 mil questionários, aplicados entre os meses de setembro e dezembro de 2014.

Dado faz parte do Censo do Sistema Único de Assistência Social e tem o objetivo de avaliar a execução das ações da área e aperfeiçoar acordos entre a União, estados e municípios

Foto: Ubirajara Machado/MDS
ft1_infosuas_30072015.jpg

A rede de assistência social está presente em 98,4% dos municípios. No total, são 10.729 unidades de atendimento em todo o país. Os dados são Censo do Sistema Único de Assistência Social (Censo Suas) 2014, realizado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). “Estamos criando condições para que a assistência social seja vista como um direito. O Suas é essa possibilidade. É um sistema público de atendimento com regras claras e gerador de direitos e oportunidades”, ressalta a secretária nacional de Assistência Social do MDS, Ieda Castro.

Leia também:
“Assistência social é um direito, assim como a saúde e a educação”, afirma Tereza Campello

Em 2014, os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) – a principal porta de entrada do Suas – passaram a somar 8.088 unidades em todo o país. Houve um acréscimo de 205 centros em comparação a 2013. A quantidade de Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) também cresceu. Atualmente, são 2372 unidades, contra 2249 em 2013.

A região Nordeste é responsável por 38,5% do total de Creas. “É o poder público cada vez mais perto da população que mais precisa”, destaca Ieda Castro. Os Creas region ais, para municípios próximos e com menos de 20 mil habitantes, já são 54 unidades em sete estados.

O atendimento à população de rua, também foi registrado pelo Censo Suas. Em 2014, foram encontrados 215 Centros de Referência Especializados para Pessoas em Situação de Rua (Centros Pop) – aumento de 64% em comparação a 2013. Além disso, as unidades de acolhimento, para proteger crianças e pessoas que tenham tido os laços familiares rompidos ou que se encontrem em vulnerabilidade, já são 5.184 em todo o país.

Quase 7,2 mil Centros de Referência da Assistência Social (Cras) – 88,9% do total – ofertam o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Os idosos são os mais beneficiados, sendo que o serviço para eles está presente em 90% dos Cras, sendo quase 1,4 milhão de pessoas atendidas. Somado aos Cras, o Censo apontou que há 7,8 mil Centros de Convivência, unidad es das prefeituras para prestar o SCFV.

O levantamento apontou ainda que, em 2014, a rede de socioassistencial tem 11,6 mil trabalhadores a mais do que em 2013, quando eram 245 mil. De acordo com a secretária nacional, o principal desafio a ser enfrentado em conjunto pelos três entes federados é construir alternativas que diminuam a precarização do trabalho na área. “A melhoria dos serviços passa pela qualificação dos trabalhadores e por melhores condições de trabalho para os profissionais.”

Censo Suas – Os dados do Censo são informados pelas prefeituras e governos estaduais, por meio de um formulário eletrônico, e colaboram para o monitoramento e o acompanhamento dos serviços executados no Suas. As informações são fundamentais para a qualidade do atendimento à população e para a gestão e controle da política de assistência social, além de identificar avanços, limitações e desafios do sistema.

O Censo Suas analisou a rede da assistência social, abrangendo questões de recursos humanos, serviços e unidades da rede. Foram coletados dados de 35 mil questionários, aplicados entre os meses de setembro e dezembro de 2014.